Tire as suas dúvidas neste vídeo realizado pela Equipe de médicos efonoaudiólogos da Disciplina de Otorrinolaringologia da Faculdade de Medicina da USP para a campanha da Voz de 2012.

O que é Disfonia / Você é rouco?

Disfonia é um sintoma clínico que significa dificuldade na produção da voz. Essa dificuldade pode manifestar-se como esforço à emissão, dificuldade em manter a voz, variação na qualidade vocal, cansaço ao falar, variações de frequência fundamental habitual ou na intensidade, rouquidão, dificuldade de projeção, perda de eficiência vocal e pouca resistência ao falar, entre outras.

Rouquidão é um termo frequentemente utilizado pelos pacientes para descrever qualquer alteração na qualidade vocal. Por ser um termo popularmente mais conhecido utilizaremos, neste texto, disfonia e rouquidão como sinônimos.

Em torno de 7% da população apresentarão rouquidão em algum momento da vida. A maioria dos episódios é causado por uma inflamação das pregas vocais associado a um quadro de resfriado comum ou gripe. Inflamação das pregas vocais causado por abuso vocal é também uma causa comum de disfonia.

Na maioria dos episódios de rouquidão a voz volta ao normal em menos de quinze dias. Entretanto, se a rouquidão persistir por mais de 15 dias deve-se procurar um médico para investigação de possíveis doenças na laringe.

Quais são as causas de Disfonia / Rouquidão?

Didaticamente podemos dividir as causas de disfonia em duas principais: àquelas decorrentes do uso inadequado ou abusivo da voz e àquelas causadas por alguma doença na laringe que não tem relação com o uso da voz.

O uso incorreto da voz pode levar a comportamentos vocais alterados sem a presença de uma lesão orgânica identificável. Ou seja, o indivíduo apresenta um distúrbio vocal com uma laringe normal, sem nenhuma alteração na prega vocal. É denominada de disfonia funcional.

O uso abusivo da voz pode levar ao desenvolvimento de lesões laríngeas, denominadas de lesões fonotraumáticas. São elas: as cordites inflamatórias, nódulos vocais, Edema de Reinke e pólipos vocais. Esse tipo de disfonia é chamada de disfonia orgânica secundária.

Outras causas de disfonia independem do uso da voz. São denominadas de disfonia orgânica primária, ou seja, o paciente apresenta uma alteração vocal decorrente de alguma lesão aríngea. Incluem-se as doenças inflamatórias, infecciosas, tumores, alterações ou malformações congênitas, doenças sistêmicas com comprometimento na laringe e disfunções do sistema nervoso central e periférico.